Google: como ranquear melhor o site da minha imobiliária?

Google: como ranquear melhor o site da minha imobiliária?

Você tem reparado que, apesar de ter um site todo organizado e bonito, ele não está apresentando os resultados que você esperava? Pode ser que ele não esteja tendo o ranqueamento adequado no Google por não estar sendo devidamente otimizado. Isso acontece porque há vários pequenos detalhes que devem ser observados para que os motores de busca “reconheçam” seu site com mais facilidade, fazendo com que apareçam nos primeiros resultados da pesquisa. Você vai descobrir agora o que você pode fazer para mudar isso.

Use o SEO para melhorar a posição do seu site no Google

Uma das formas de melhorar seu ranqueamento no Google é usando as táticas de SEO, o Search Engine Optimization, que, basicamente, consiste na utilização de palavras-chave em todo o site. Essas palavras-chave são aquelas mais digitadas pelos usuários na hora da pesquisa. Alguns mecanismos, como o Google Adwords, podem fornecer os termos mais digitados.

A dica é esquecer os adjetivos e ir direto ao assunto. Por exemplo, se você tem uma casa de três quartos, com varanda e quintal em Botafogo para alugar, use “casa em Botafogo para locação” ou “casa para alugar na Zona Sul”. Repita a palavra-chave entre três e quatro vezes ao longo do texto.

Lembre-se, quando alguém vai procurar um imóvel escreve palavras como “apartamento à venda no Centro” ou “sala para locação no Leblon” – não vai escrever “belíssimo apartamento no Centro” ou “espetacular sala para alugar no Leblon”. Por isso, deixe os termos “imperdível”, “oportunidade” ou “fantástico” de lado na hora da otimização e invista na boa colocação das palavras-chave, de forma instintiva e natural, porque o excesso ou a gratuidade do termo onde ele não faz sentido também é mal visto pelos algorítimos do Google.

Otimize seu site para dispositivos móveis

De acordo com o IBGE, o celular é o principal meio de acesso à internet. De acordo com o Suplemento de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014 divulgado pelo instituto, 80,4% dos acessos à internet são feitos por dispositivos móveis, como celular ou tablet, mesmo quando a casa ou escritório tem computador.

Por isso, é inegável a necessidade de seu site ser responsivo, ou seja, ter navegabilidade garantida nesses gadgets – e os algoritmos do Google levam esse critério em conta na hora de avaliar o ranqueamento do site.

Da mesma forma, a plataforma que você usa também pode ajudar seu site a conseguir uma posição melhor nas buscas de acordo com a velocidade de carregamento. Esse item faz parte dos critérios do Google desde 2010, mas muita gente não sabe disso. O objetivo é proporcionar aos usuários a melhor experiência de navegação.

Melhore o ranking do site em relação à localização da sua imobiliária

Você também pode fazer a posição do seu site subir na busca do Google em relação à localização da sua imobiliária. Se ela se encontra na Tijuca, por exemplo, no Rio de Janeiro, muito provavelmente a maior parte do seu público alvo está lá. Hoje, 90% das transações imobiliárias começam no ambiente online, então para aparecer para as pessoas que buscam por uma imobiliária na Tijuca, por exemplo, você deve otimizar as informações sobre a sua localização no site.

Para isso, faça com que o seu endereço apareça em todas as páginas do site – como em um texto em fonte pequena, discreta, no rodapé; use meta tags para marcar sua localização; incorpore o mapa do próprio Google; crie conteúdo relacionado à sua região, como dicas de restaurantes, eventos culturais gratuitos ou parceiros de negócios próximos que possam ajudá-lo na divulgação.

Imagens de qualidade podem fazer muita diferença

Os motores de busca do Google simplesmente “adoram” boas imagens – em todos os sentidos. Fotografias bem tiradas, com alta resolução, descritivas e fartas, mostrando bem todo o imóvel, melhoram o ranqueamento do seu site. Mas a qualidade das fotos vai além: ela passa também pela  informação que ela carrega escondida.

A palavra-chave deve entrar também na descrição da foto e nomear o próprio arquivo de imagem. Isso acontece porque existe um campo escondido chamado “alt” que é exibido se o site tiver algum problema em exibir a imagem. Nas melhores plataformas, este campo já é automaticamente preenchido quando você escreve a descrição da foto.

Com essas dicas, será muito mais fácil melhorar a posição do seu site no Google, mas é claro que isso não acontece de uma hora para a outra – até por ser um trabalho contínuo, que também é avaliado em seu conjunto ao longo do tempo. O negócio é colocar mãos à obra e se dedicar a melhorar cada vez mais seus resultados.

Você conhece outras formas de otimizar o site para o Google? Como você tem feito? Compartilhe conosco a sua experiência!

Comentários

Posts Relacionados