House Flipping: como funciona?

House Flipping: como funciona?

Que o mercado imobiliário está sempre se reinventando, não é novidade. Graças a essa resiliência, o setor segue aquecido mesmo com a pandemia. De uma certa forma, a própria crise do coronavírus acabou abrindo novas oportunidades após os primeiros meses de incertezas. Uma delas é o House Flipping, uma prática comum nos EUA, mas que só agora toma força em terras brasileiras.

O que é House Flipping?

House Flipping é uma modalidade de investimento que tem como principal foco o lucro rápido. A ideia é adquirir imóveis baratos e promover uma verdadeira transformação antes da venda, o que inclui reforma e decoração.

Por aqui a estratégia ainda é relativamente nova, mas só para se ter uma ideia, nos Estados Unidos a taxa de retorno do investidor está acima da casa dos 40%. Isso em um mercado em que há cerca de 200 mil imóveis sendo comercializados pelo House Flipping.

Há pelo menos dois motivos para os EUA serem um potencial de House Flipping. Um deles é a febre por reality shows de reforma de casas, um mercado milionário que não para de crescer.

O outro são as foreclosure, as casas retomadas pelos bancos e que passaram a ser disponibilizadas com valores até 40% menores na Flórida.

Mercado brasileiro está bem aquecido

Mas será que aqui a moda pega? Tudo indica que sim. Uma pesquisa da Archademy mostra que as buscas por renovação de imóveis aumentaram 68% e 42% as de compra para reforma desde o ano passado.

Não é difícil entender a relação com a pandemia. Desde 2020, com a quarentena e o incentivo ao distanciamento social, as pessoas passaram a ter uma nova relação com a casa.

O lar foi ressignificado como local de lazer, estudo, fitness e trabalho, já que um número imenso de empresas adotou definitivamente o home office.

Assim, aumentou a busca por imóveis mais amplos e mais afastados da região central, ao mesmo tempo em que os financiamentos ficaram mais acessíveis.

House Flipping: como funciona?

Modalidade atrai também pessoas físicas

O lucro é tão bom, mesmo após o gasto com a reforma, que já surgiram empresas especializadas em House Flipping, como a Loft. A empresa já foi considerada o terceiro maior unicórnio brasileiro – startups cujo valor é igual ou maior que US$1 bilhão.

Mas muito se engana quem pensa que é preciso ser uma empresa para se tornar um “home flipper”, nome dado a quem lucra com a revenda de imóveis reformados.

Várias pessoas físicas já estão apostando suas fichas na modalidade. Claro que o ideal é ter uma boa equipe de reforma por trás ou um profissional do ramo como parceiro.

E é aí que o corretor encontra um outro ótimo nicho: o da assessoria especializada em House Flipping.

O segredo por trás da estratégia

Ora, como qualquer investimento, o House Flipping também tem seus segredos. Já que a ideia é buscar imóveis baratos, é preciso saber onde procurá-los. Então ninguém melhor do que o corretor para buscar indicações para seu cliente investidor.

Imóveis mais depreciados têm baixo custo de aquisição e alto valor de revenda depois de reformados. Mas também é possível encontrar propriedades bem mais em conta em leilões, execuções hipotecárias e casas antigas.

Mas o corretor precisa ficar atento às estratégias para melhor orientar seus clientes. Ao encontrar a casa, nada de afobação, tudo precisa ser bem planejado.

Para ter uma boa margem de lucro na revenda, é preciso que a reforma custe entre 10% e 15% do valor da compra. Já o custo da reforma pode ser reduzido se o investidor for do ramo ou tiver um parceiro engenheiro ou arquiteto para fazer o planejamento da obra.

House Flipping: como funciona?

4 dicas rápidas:

O corretor pode contar com essas 4 dicas rápidas para orientar seus clientes:

  • Use a regra dos 70% para investir em House Flipping. O cliente não deve pagar mais do que 70% da diferença entre o valor após a reforma e o custo dos reparos necessários;
  • Pesquise o custo médio da reforma. Cada projeto tem suas particularidades, por isso é preciso estar a par do preço médio dos materiais, mão de obra, prazos de entrega, etc;
  • Atenção ao que vale a pena ser reformado. Há obras que saem caras demais e não compensam o investimento feito;
  • Não esqueça de analisar cuidadosamente toda a documentação do imóvel para ver se não empecilho à venda posterior.

E então, pronto para se especializar no nicho do House Flipping, corretor? Não deixe de ter um bom sistema imobiliário para ajudar a manter sua carteira de imóveis sempre atualizada.

Experimente gratuitamente o Imobzi e veja como o software para imobiliárias e corretores mais completo do mercado pode ajudar a fechar muito mais negócios!

Comentários

Posts Relacionados