Microapartamentos – Aumenta o interesse por apartamentos menores

Microapartamentos – Aumenta o interesse por apartamentos menores

O corretor de sucesso deve ficar atento às tendências do mercado para não perder nenhuma oportunidade, certo? Então você já deve ter percebido um aumento significativo no interesse pelos microapartamentos.

Mas se você pensou em 60, 50 m², ainda está pensando grande. Em São Paulo, por exemplo, há unidades com 10 m². Mas quem aproveitou, se deu bem, porque tudo indica que essas serão as únicas, já que a legislação já mudou o limite mínimo da metragem para 11 m².

Pouca diferença, é verdade, mas demonstra bem como a demanda crescente está além de uma tendência. A busca pelos microapartamentos já é um movimento consolidado, influenciando, inclusive, o plano diretor das cidades.

Em São Paulo, por exemplo, a legislação estabelece que os edifícios no entorno de corredores de ônibus e estações de metrô tenham apenas uma vaga de garagem por apartamento – no máximo.

A ideia é incentivar o uso do transporte público, mas acaba acarretando na construção de unidades cada vez menores, para no máximo duas pessoas.

Mas como ganhar dinheiro com esses microapartamentos? Será que há mesmo um público para eles? Há várias forma de o corretor fazer bons negócios, basta entender bem esse verdadeiro movimento social.

Microapartamentos - Aumenta o interesse por apartamentos menores

Microapartamentos, kitnets, conjudados e studios: são iguais?

Apartamentos de espaço reduzido não chegam a ser uma novidade, afinal quem não se lembra das antigas kitnets, conjugados – ou, mais recentemente, dos studios. No entanto, há uma certa diferença entre eles e o novo conceito.

Kitnet, por exemplo, é o termo utilizado para descrever apartamentos com um cômodo único, fora o banheiro. Entretanto isso não significa que tenham, necessariamente, uma metragem pequena.

No Brasil é comum a kitnet ou studios terem até 50m². No exterior, no entanto, são consideradas pequenos lofts, frequentemente com metragem maior do que aqui.

Já os microapartamentos têm uma divisão otimizada, mas normalmente têm em média menos de 30 m². A tendência, no entanto, é de um encolhimento ainda maior, com unidades até 20 m².

Contudo, não é só por aqui que os microapartamentos ganham força. Esse é um movimento mundial. No mercado imobiliário internacional, a média das novas construções têm metragens entre 18 m² e 30 m², como em Buenos Aires.

Microapartamentos - Aumenta o interesse por apartamentos menores

Entenda seu público-alvo

Layout integrado, decoração funcional caprichada, soluções inteligentes e o aproveitamento máximo da luz natural. Com base nesses princípios, arquitetos e designers de interiores têm transformado os microapartamentos na sensação do mercado.

Entretanto, o corretor que quiser realmente ganhar dinheiro com nicho precisa entender muito bem seu público-alvo. Afinal, a demanda é puxada por mudanças sociais:

  • Envelhecimento da população e melhor qualidade de vida da terceira idade, o que faz com que muitos idosos desejem morar sozinhos;
  • Mais mulheres no mercado de trabalho, buscando uma vida mais prática e uma casa mais fácil de manter;
  • Condomínios com mais espaços e serviços coletivos, como lavanderias, oficinas, passadeiras etc;
  • Desejo de morar mais próximo ao trabalho, reduzindo o tempo de deslocamento;
  • Núcleos familiares menores, casais sem filhos e gravidez cada vez mais tardia;
  • Pessoas que namoram mas preferem morar separadas em vez de juntas;
  • Aumento de pessoas solteiras, separadas ou viúvas morando sozinhas;
  • Redução da quantidade de empregadas domésticas;
  • Investidores.

Microapartamentos - Aumenta o interesse por apartamentos menores

Como ganhar dinheiro com os microapartamentos

Para o corretor de imóveis os micropartamentos podem ser uma verdadeira fonte inesgotável de bons negócios. O primeiro passo é manter sua cartela de contatos muito bem organizada, com o máximo possível de informações.

Um bom sistema com CRM pode ajudar a encontrar os perfis certos entre seus leads e prospects, por isso cada dado recolhido é valioso.

Pessoas morando sozinhas

De acordo com o IBGE, entre 2005 e 2015 o número de pessoas morando sozinhas aumentou de 10,4% para 14,6% da população.

Segundo a pesquisa, 44,3% são idosos, 72% deles acreditam que assim têm mais liberdade para gastar dinheiro, 48% decidiu por iniciativa própria, 40% sentem ter mais privacidade, 25% se sentem mais independentes e 23% se sentem mais livres.

A escolha de viver sozinho é uma tendência tão consolidada que já ganhou até um apelido: ser um homo solus hoje já é a opção de cerca de 30% dos brasileiros adultos.

Investidores

Além das pessoas que buscam os microapartamentos para viverem sozinhas, seja pelo motivo que for, outro público que pode render bons negócios é o dos investidores.

É crescente o número de pessoas que veem nos microapartamentos um investimento altamente rentável para a locação de imóveis.

Com as facilidades geradas pela imobiliária digital, o corretor pode não apenas vender as unidades para quem quer investir, mas fazer a própria administração do aluguel.

Público para esse tipo de locação não falta. São jovens profissionais, empresários e estudantes, por exemplo.

No entanto, vale ficar atento às características dos empreendimentos para gerar mais assertividade nas suas ações.

Alguns já estão sendo construídos exatamente com essa finalidade, agregando grandes espaços compartilhados que atendem a esse nicho específico.

Além das áreas comuns normais a um empreendimento, muitos trazem ainda espaços de coworking, serviços de escritório, wi fi e coffee shops.

Assim, esses edifícios com microapartamentos se tornam não apenas um local para dormir, mas o próprio prédio parte da sua vida profissional, onde é possível socializar de diversas formas – inclusive pelo networking.

Microapartamentos - Aumenta o interesse por apartamentos menores

Aluguel por temporada

Muitos investidores estão comprando também para alugar esses microapartamentos por temporada para turistas. Esse é outro nicho que pode ser explorado pelo corretor, atento à localização da unidade.

Assim, em vez de alugar pelo ano inteiro, o aluguel por temporada se torna um excelente negócio, principalmente quando localizados no litoral ou próximo a pontos turísticos.

Além disso há ainda um público jovem, como estudantes de intercâmbio ou cursos de curta temporada. Os microapartamentos acabam sendo práticos, mais em conta e com mais privacidade e independência do que hotéis, pousadas e hostels.

Agora que você já conhece tudo sobre a versatilidade e as oportunidades de negócios geradas pelos microapartamentos já está pronto para começar a ganhar dinheiro com eles!

Mas não esqueça de ter um bom aplicativo imobiliário para não perder nenhuma oportunidade.

Venha conhecer o Imobzi, o sistema mais completo do mercado, faça um teste gratuito e prepare-se para fechar muitos negócios imobiliários!

Comentários

Posts Relacionados