Placas de venda: bom ou ruim?

Placas de venda: bom ou ruim?

Desde que o marketing digital para imobiliárias (online) se tornou muito mais eficiente do que o tradicional (offline), uma dúvida insiste em permear a rotina dos corretores. Afinal, é bom ou ruim colocar placas de venda? Na verdade, desde que bem utilizadas, elas podem ser um bom suporte à sua tática de vendas. No entanto, é preciso cuidado. Usadas da forma inadequada, podem surtir o efeito oposto. Veja agora como e quando usar as placas de venda para potencializar estratégia.

Placas de venda: por que usar

Há vários motivos para usar as placas de venda. Além de ajudar na divulgação do imóvel em si, elas podem ser um aliado poderoso na estratégia de comunicação da sua imobiliária. Veja os pontos favoráveis.

Ajudam na divulgação do imóvel

É bom frisar que as placas de venda não substituem seu trabalho de marketing digital, muito pelo contrário. Elas devem servir de apoio à sua estratégia. Isso por que as pessoas costumam transitar pelos seus lugares de preferência de compra de imóvel. Além disso, podem ser vistas pelos vizinhos e transeuntes em geral, fortalecendo o boca-a-boca.

Fortalecem a sua marca

As placas de venda também ajudam a fortalecer a sua marca. Para isso sua logo deve ficar visível, de forma a demarcar sua atuação. Além de captar novos clientes, consolida seu nome na área de atuação da imobiliária.

Placas de venda: bom ou ruim?

Melhoram a sua imagem

Se você investir em placas de venda personalizadas, a sua imagem sairá ganhando. O cuidado com a produção do objeto reflete seu cuidado com seu trabalho e seu grau de profissionalização.

Mapeamento da sua imobiliária

As placas de venda também podem servir como uma ferramenta interna de avaliação. Faça uma planilha para as placas espalhadas pelos bairros. Insira a data de colocação, a localização e o nome do corretor responsável pela captação. Dessa forma você consegue mapear quais os bairros que estão sendo mais trabalhados e aqueles que precisam de mais atenção.

Tecnologia facilita o contato do cliente

Não é porque as placas de venda são um acessório de divulgação antigo que elas não podem agregar tecnologia. Invista em placas confeccionadas com QR Codes, por exemplo.

Assim, basta o cliente fazer a leitura pelo smartphone para acessar o link do seu site imobiliário móvel. Nele será possível visualizar fotos do imóvel, deixar mensagens ou entrar em contato com o corretor.

Criar diferenciais

Crie diferenciais através das placas de venda. Indique a exclusividade na venda e serviços prestados, como assessoria jurídica, avaliação do imóvel ou auxílio com a documentação. Assim você estará agregando valor aos seus serviços imobiliários.

Mais confiança na transação do imóvel

Saber que há uma imobiliária por trás da venda dá sempre mais confiança ao comprador. Mesmo que ele tenha encontrado seu imóvel pela internet – o que acontece em 90% dos casos, segundo os dados do Google – ver a placa na hora da visitação atesta ainda mais a seriedade do negócio.

Atenção ao que diz a lei

As placas de venda também têm normas regidas pelas leis municipais. É preciso entrar em contato com a Secretaria de Urbanismo da sua cidade ou pesquisar junto à Prefeitura quais as determinações, já que elas mudam de cidade para cidade.

Em São Paulo, por exemplo, a Lei Municipal 11.376/93 institui que as placas de venda imobiliária deverão conter obrigatoriamente o nome e número do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci – SP) e do corretor responsável pela negociação jurídica em questão.

Placas de venda: bom ou ruim?

O que não fazer nas placas de venda

Você já viu que as placas de venda precisam ser utilizadas com sabedoria. Caso contrário podem prejudicar o negócio mais do que ajudar. Veja quando isso pode acontecer e redobre o cuidado.

Cuidado coma poluição visual

Placas de venda em excesso causa poluição visual, tornando o lugar desagradável. Por outro lado, quando há mitas placas, a sensação é de que há alguma coisa errada com o imóvel – e o proprietário precisa se livrar dele o mais rápido possível. Dessa forma a propriedade acaba sendo desvalorizada e o tempo de venda fica cada vez maior.

Também causa desconfiança se houver muitas placas em outras unidades do mesmo condomínio ou edifício. Muitos imóveis sendo vendidos no mesmo lugar remetem a local perigoso ou prestes a se desvalorizar por conta de alguma obra – como viadutos muito próximos, construção de penitenciária, etc – ou problemas estruturais.

Pouca segurança aos moradores atuais

Por outro lado, se o imóvel ainda estiver habitado, a placa pode facilitar a ação de assaltantes. É comum os bandidos se fazerem passar por compradores para ter acesso à residência. Nesse caso, se ainda assim optar por colocar a placa, oriente os moradores a só receberem possíveis compradores levados pelo corretor.

E você, como costuma utilizar as placas de venda? Conte para a gente a sua experiência! 

Comentários

Posts Relacionados